MAURO BRANDÃO, mineiro de Caeté, escritor, poeta e músico, é Bacharel em Ciências Econômicas pela U

Minha foto

Sobrevoando os aeródromos das palavras, Mauro Brandão - descendente hereditário da verve literária de Guimarães Rosa (a avó paterna, Georgina Pinto Rosa era prima de primeiro grau desse grande escritor) se lança no mundo da literatura através do seu livro, o romance Claraluz e o Poeta, lançado em outubro de 2014 pela Editora Letramento. Outros projetos literários estão sendo concebidos: "Coletâneas Virtuais I", poesias; "Na Solidão do Outro", romance psicológico; "Tempestade Magnética", ficção científica; "A História do Homem e do Universo: crítica ao fundamentalismo", ensaio filosófico; "Voltei Formiga", realismo mágico; "O Descobrimento de Outro Mundo", ficção científica; "Brincando de Deus", realismo mágico; "O Ladrão das Artes", infanto-juvenil; "De Volta ao Presente: história de alguns", contos; "Os Guardiões da Luz", segundo livro da trilogia de Claraluz e o Poeta; "Olavo e o Mestre", autoajuda.

Mauro Brandão é músico, tecladista do Coral Juvenal Alves Vilela e fundador e membro da banda Nova Estação

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Brincando de Deus

Ô gente.

O caldo da criatividade está transbordando. Hoje, mais uma ideia-força para um novo livro brotou - Brincando de Deus. Mais uma estória nascida da falta de limites à imaginação. Para o escritor, a imaginação é a realiação do impossível que se torna possível nas palavras saídas da boca da alma.

Depois conto detalhes.

Mauro

Um comentário:

  1. Antes que digam (é! Tem gente de olho - gordo) estou me achando, por causa do título, quero dizer que "Brincando de Deus" tem o seguinte tema:

    Deus resolve escalar o anjo Oziel para uma missão na Terra. Para isto, Deus resolve transformar Oziel em homem (ou mulher) e dar poderes para que ele insira dons em 12 pessoas, a seu bel prazer. Oziel vai escolher os dons que dará para cada um, e ao final, terá a missão de reunir estas 12 pessoas. Deus estará observando a experiência de Oziel e as conclusões caberão aos leitores.

    Abraços
    Mauro

    ResponderExcluir