MAURO BRANDÃO, mineiro de Caeté, escritor, poeta e músico, é Bacharel em Ciências Econômicas pela U

Minha foto

Sobrevoando os aeródromos das palavras, Mauro Brandão - descendente hereditário da verve literária de Guimarães Rosa (a avó paterna, Georgina Pinto Rosa era prima de primeiro grau desse grande escritor) se lança no mundo da literatura através do seu livro, o romance Claraluz e o Poeta, lançado em outubro de 2014 pela Editora Letramento. Outros projetos literários estão sendo concebidos: "Coletâneas Virtuais I", poesias; "Na Solidão do Outro", romance psicológico; "Tempestade Magnética", ficção científica; "A História do Homem e do Universo: crítica ao fundamentalismo", ensaio filosófico; "Voltei Formiga", realismo mágico; "O Descobrimento de Outro Mundo", ficção científica; "Brincando de Deus", realismo mágico; "O Ladrão das Artes", infanto-juvenil; "De Volta ao Presente: história de alguns", contos; "Os Guardiões da Luz", segundo livro da trilogia de Claraluz e o Poeta; "Olavo e o Mestre", autoajuda.

Mauro Brandão é músico, tecladista do Coral Juvenal Alves Vilela e fundador e membro da banda Nova Estação

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Reta Final

As vezes me sinto um veterano, mas sou na verdade (e sempre serei) um marinheiro de primeira viagem. Sinais de um cansaço bom despontam em meu organismo. Um cansaço de 11 meses, 372 páginas e 51 capítulos escritos em Claraluz e o Poeta. Um cansaço de maratonista, que mesmo estando a sentir o esgotar de suas energias, busca nas pilhas que lhe restam os elétrons capazes de acender as ultimas lâmpadas do processo criativo.

Faltam três capítulos: o 52, o 53 e o Epílogo. A estória delineou-se: princípio, meio e fim coerentes, um prédio de 54 andares, faltando somente três. Um sentimento de nostalgia toma conta do meu ser sempre à deriva. O pós-Claraluz e o Poeta é avistado por mim: Terra à vista! Jamais imaginei correr em volta da Lagoa da Pampulha, mas eis que aqui me encontro, pingando suores da mente, saíndo de um tunel, diferente do que era antes da entrada.

Músicas, poemas, romantismo, erotismo, enigmas, ação, aventura, reflexão, alegrias e tristezas, realismo, surrealismo e realismo fantástico, risos e lágrimas, paixão e sedução, armadilhas e conquistas, emoções e emoções. Tudo isso e muito mais são os ingredientes de Claraluz e o Poeta, filho gestado, presetes a nascer, mergulhado no Universo-mãe, e despontando-se para o Universo-Pai.

Nestes 11 meses, mais de 3000 amigos feicibuquianos, amores despertados, de norte a sul, do Rio Grande do Sul a Roraima, aquém e além-mar, em Portugal, Estados Unidos, Espanha, Itália, Inglaterra, França, Alemanha, Indonésia, Líbano, Argentina, Uruguai, Venezuela e Paraguai. Amigos de Caeté, Sabará, Belo Horizonte, Pouso Alegre, Divinópolis, Uberaba, Barbacena, Varginha... equipe formada, uma empresa que desponta, a 4eUm Digital Marketing (www.4eum.com.br), expectativas sangradas na sangria criada por este autor ansioso, compulsivo e principalmente otimista, otimizando a crença de que os sonhos são frutos do acreditar. Eu acredito em sonhos e nos dons que recebi do Mestre da Existência. Por isso caminho teimosamente, sem medo, sem medo de ser feliz.

Claraluz e o Poeta está na beira da realidade, atravessando generosamente e guimarãesrosamente a terceira margem do rio de nossas vidas, canoa construída com madeira forte e resistente às águas que virão. Águas que passaram, águas que passarão, passadas de passarinhos, passaredos e arvoredos frutados e furtados da imaginação que sai da alma e cai noutras almas longínquas, longinquas e tão perto de nossas mãos, longínquas como estão os beija-flores dos néctares de suas flores.

A força vem do alto, Altíssimo, distribuidor de forças a todos vocês, amigos, que me empurraram, acarinharam e me abasteceram. Claraluz e o Poeta enxerga a luz do fim do túnel, a luz da saída do útero para o parto feliz de encontro ao mundo, ao vasto mundo de Camões.